Rádio Germinal

A música trivial

O vídeo abaixo aborda a questão da música trivial, colocando como exemplo "Surfin Bird", The Trashmen.
Para ouvir o vídeo, vá ao rodapé desta página e clique em pausar no player da Rádio Germinal.


Capital Fonográfico e Formação do Gosto

O vídeo abaixo apresenta a diferenciação entre músicas simples e músicas complexas para explicar a força do capital fonográfico na formação do gosto dominante no grande público, usando duas músicas para exemplificar esse processo.

Para ouvir o vídeo, vá para o rodapé da página e em Rádio Germinal clique em pausa.


LETRAS: Footloose - Keni Loggins (Inglês e Português)

Footloose

Been working so hard
I'm punching my card
8 hours for what?
Oh tell me what have i got
I got this feeling
That time's just holding me down
I'll hit the ceiling or else i'll tear up this town

(Chorus)
Now i gotta cut loose, footloose
Kick off your sunday shoes
Please louise hold me off of my knees
Jack, get back
Come on before we crack
Lose your blues everybody cut footloose

You're playing so cool
Obeying every rule
Dig way down in your heart
You're burning, yearning for some-
Somebody to tell you
That life ain't passing you by
I'm trying to tell you in a way that you don't leave town

You'd be fine if you'd only cut loose, footloose
Kick off your sunday shoes
Oohee, marie shake it shake it for me
Oh milo, come on, come on let's go
Lose your blues everybody cut footloose

You've got to turn it around
And put your feet on the ground
Now take a hold of both

(chorus 2 times)

Everybody cut, everybody cut
Everybody cut, everybody cut
Everybody cut, everybody cut
Everybody, everybody cut footloose

Sem Regras

Tenho trabalhado tanto
bato meu cartão
oito horas...pra que ?
Digam-me o que é que eu ganho
E tenho essa impressão
de que o tempo só está me estorvando
ou eu vou explodir ou farei esta cidade em pedaços!

(Refrão)
Agora eu vou relaxar, sem regras
Jogue longe os seus sapatos de domingo
por favor, Louise, arranque-me dos meus joelhos
Jack, volte aqui
vamos lá, antes que tenhamos um ataque
Deixe sua apatia, todo mundo sem regras

Você está fazendo tudo direitinho
Obedecendo todas as ordens
Mas dê uma olhada no seu coração
Você está-se roendo, louco pra que
Alguém te diga
Que a vida não está te deixando pra trás
Eu estou tentando dizer de um jeito que você nõ precise deixar a cidade

Você ficará bem se relaxar, sem regras
Jogue longe os seus sapatos de domingo
Oohee, Marie, mexa, mexa pra mim!
Oh, Milo, vamos, vamos lá!
Deixe sua apatia, todo mundo sem regras

Você tem que virar essa situação
E colocar os seus pés n chão
Agora segure-se nos dois

(refrão 2 vezes)

Todo mundo fique, todo mundo fique
Todo mundo fique, todo mundo fique
Todo mundo fique, todo mundo fique
Todo mundo, todo mundo fique sem regras

LETRAS: Age of Reason (A era da razão) - Black Sabbath

Age Of Reason

Do you hear the thunder
Raging in the sky?
Premonition of
A shattered world that's gonna die.

In the age of reason,
How do we survive?
The protocols of evil
Ravaging so many lives?

Mystifying silence
Talking peace on earth.
We should judge each other
For ourselves not what we're worth.

Sustainable extinction,
A fractured human race.
A jaded revolution
Disappears without a trace.

Always felt that there'd be trouble.
Mass distraction hides the truth.
Prozac days and sleepless hours.
Seeds of change that don't bear fruit.

These time are heavy
And you're all alone.
The battle's over
But the war goes on.

Politics, religion,
Love of money too.
It's what the world was built for
But not for me and you.

Era da Razão

Você ouve o trovão
Furioso no céu?
Premonição de
Um mundo quebrado que vai morrer.

Na idade da razão,
Como vamos sobreviver?
Os protocolos do mal
Assola tantas vidas?

Mistificando o silêncio
Falando de paz na terra.
Devemos julgar uns aos outros
Para nós não é o que valem.

Extinção sustentável,
A raça humana fraturada.
A revolução cansada
Desaparece sem deixar vestígios.

Sempre senti que não haveria problemas.
Distração em massa esconde a verdade.
Prozac dias e horas sem dormir.
Sementes de mudança que não produzem frutos.

Estes tempo estão pesados
E você está sozinho.
A batalha acabou
Mas a guerra continua.

Política, religião,
O amor pelo dinheiro também.
É que o mundo foi construído para
Mas não para mim e para você.

LETRAS: "Para não dizer que não falei das flores" - Geraldo Vandré

PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DAS FLORES


GERALDO VANDRÉ


Caminhando e cantando

E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Pelos campos há fome
Em grandes plantações
Pelas ruas marchando
Indecisos cordões
Ainda fazem da flor
Seu mais forte refrão
E acreditam nas flores
Vencendo o canhão
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Há soldados armados
Amados ou não
Quase todos perdidos
De armas na mão
Nos quartéis lhes ensinam
Uma antiga lição
De morrer pela pátria
E viver sem razão
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Nas escolas, nas ruas
Campos, construções
Somos todos soldados
Armados ou não
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Somos todos iguais
Braços dados ou não
Os amores na mente
As flores no chão
A certeza na frente
A história na mão
Caminhando e cantando
E seguindo a canção
Aprendendo e ensinando
Uma nova lição
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer
Vem, vamos embora
Que esperar não é saber
Quem sabe faz a hora
Não espera acontecer

Enio Morricone - Vamos a matar companeros

Enio Morricone é o mais famoso autor de trilhas sonoras de filmes. A sua fama é graças às trilhas sonoras feitas para os filmes de Sérgio Leone, que se tornaram canções clássicas do filme de faroeste. Mas ele também fez trilhas sonoras para outros diretores italianos do Western-Spaghetti, como Damiano Damiani e Sérgio Corbucci, que, junto com Leone, realizam filmes de maior qualidade e de alta criticidade, o que não ocorreu com as inúmeras vulgarizações do gênero, recheadas de violência e sem criticidade. As trilhas sonoras para os filmes de Sérgio Leone se tornaram clássicas, mas Morricone não repetia o mesmo estilo nos demais filmes. Para o filme, "Companheiros", de Sérgio Corbucci, ele colocou letra nas músicas, ao contrário do que fazia para os filmes de Leone. A música "Vamos a matar Companeros", pode ser ouvida na Rádio Germinal.

Veja também o Filme:


Direção:
Sergio Corbucci


Ano:
1970 


País:
ItáliaFrançaAlemanha


Gênero:
Western


Duração:
118 min. / cor


Título Original:
Vamos a Matar, Compañeros 

Rádio Germinal

Rádio Germinal
Onde a Música não é mercadoria,
É crítica, qualidade e utopia.

Ouça Rádio Germinal!
Link: http://radiogerminal.com