Beto Guedes: O Sal da Terra

Abaixo letra e vídeo da música de Beto Guedes, Sal da Terra.
Essas e outras música você ouve na Rádio Germinal:

Anda, quero te dizer nenhum segredo
Falo desse chão, da nossa casa, vem que tá na hora de arrumar
Tempo, quero viver mais duzentos anos
Quero não ferir meu semelhante, nem por isso quero me ferir
Vamos precisar de todo mundo pra banir do mundo a opressão
Para construir a vida nova vamos precisar de muito amor
A felicidade mora ao lado e quem não é tolo pode ver

A paz na Terra, amor, o pé na terra
A paz na Terra, amor, o sal da...
Terra, és o mais bonito dos planetas
Tão te maltratando por dinheiro, tu que és a nave nossa irmã
Canta, leva tua vida em harmonia
E nos alimenta com teus frutos, tu que és do homem a maçã
Vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois
Pra melhor juntar as nossas forças é só repartir melhor o pão
Recriar o paraíso agora para merecer quem vem depois
Deixa nascer o amor
Deixa fluir o amor
Deixa crescer o amor
Deixa viver o amor


A Música Antirracista de Timmy Thomas

Abaixo vídeo e letra da música de Timmy Thomas, Why Can't We Live Together (Por que não podemos viver juntos), de 1972. Essas e outras músicas você ouve na Rádio Germinal, onde a música não é mercadoria; é crítica, qualidade e utopia.






Timmy Thomas, Why Can't We Live Together (Por que não podemos viver juntos)

Por Que Não Podemos Viver Juntos ?

Diga-me por quê diga-me por quê
hmm Por que não podemos viver juntos?
Diz pra mim por quê
hmm Por que não podemos viver juntos?
Todo mundo quer viver junto
Por quê não podemos estar juntos?
Sem guerra, sem guerra, sem guerra
hmm so um pouquinho de paz
Nós so queríamos que as guerras acabassem
e um pouco de paz no mundo
Todo mundo quer viver junto
Por que não podemos viver juntos?
Não importa qual a tua cor
hmm você é meu irmão
É como eu disse, não importa a tua raça
hmm você é meu irmão
Todos querem viver juntinhos
Por que não podemos viver juntos?
Todo mundo quer viver
Todos chegaram a estar juntos
ôô todos querem viver
Todos chegaram a estar juntos
Ooh Ooh laaa laa laa laa
Todo mundo chegou a unir-se
Todo mundo quer estar unido
Não importa a tua cor
hmm você é meu irmão
Não importa mesmo a tua raça
Você é meu irmão
Todos querem viver unidos
Por que não podemos viver juntos?
viver juntos
Juntos!

O Rock expressa o que é a política institucional e os políticos profissionais

A música "Vossa Excelência", da banda Titãs, expressa um aspecto da política institucional e dos políticos profissionais: a dissimulação e a corrupção que manifestam os interesses daqueles que são falsamente apontados como "representantes do povo".

Ouça a música e a letra abaixo:



VOSSA EXCELÊNCIA
TITÁS

Estão nas mangas
Dos senhores ministros
Nas capas
Dos senhores magistrados
Nas golas
Dos senhores deputados
Nos fundilhos
Dos senhores vereadores
Nas perucas
Dos senhores senadores
Senhores! Senhores! Senhores!
Minha Senhora!
Senhores! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão! Senhores!
Filha da Puta! Bandido!
Senhores! Corrupto! Ladrão!
Sorrindo para a câmera
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena
Sorrindo para as câmeras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado!
Estão nas mangas
Dos senhores ministros
Nas capas
Dos senhores magistrados
Nas golas
Dos senhores Deputados
Nos fundilhos
Dos senhores vereadores
Nas perucas
Dos senhores senadores
Senhores! Senhores! Senhores!
Minha Senhora!
Bandido! Corrupto
Senhores! Senhores!
Filha da puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão! Senhores!
Filha da puta! Bandido!
Corrupto! Ladrão!
Isso não prova nada
Sob pressão da opinião pública
É que não haveremos
De tomar nenhuma decisão
Vamos esperar que tudo caia
No esquecimento
Aí então!
Faça-se a justiça!
Sorrindo para a câmera
Sem saber que estamos vendo
Chorando que dá pena
Quando sabem que estão em cena
Sorrindo para as câmeras
Sem saber que são filmados
Um dia o sol ainda vai nascer
Quadrado!
Estamos preparando
Vossas acomodações
Excelência!
Filha da Puta!
Bandido! Senhores!
Corrupto! Ladrão!
Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!
Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão!
Filha da Puta!
Bandido! Corrupto! Ladrão
Written by Antonio Bellotto, Antonio Carlos Liberalli Bellotto, Charles Gavin, Charles De Souza Gavin, Paulo Miklos, Paulo Roberto De Souza Miklos • Copyright © Warner/Chappell Music, Inc

A Falta - Edmilson Marques

A Falta - Edmilson Marques



"A Falta", Edmilson Marques
Composição: Edmilson Marques e Nildo Viana


A Falta

Quando uma pessoa presente
Desaparece e se torna ausente
Nada a substitui e só fica o vazio.
O vácuo, o nada, o mundo frio.

O arrependimento ao meu lado
O momento não vivido
A nostalgia do passado
O sonho ensanguentado

A falta é uma parte desaparecida
O empobrecimento do presente
A consciência da vida não-vivida
A percepção de um mundo decadente.

Quando uma pessoa presente
Desaparece e se torna ausente
Nada a substitui e só fica o vazio.
O vácuo, o nada, o mundo frio.

A vontade de montar um quebra-cabeça
Unindo o melhor do presente e do passado
Fazendo com que a peça desaparecida reapareça
Reviver e recuperar o tempo roubado.

O túnel do tempo é ficção
Os ladrões do tempo são reais
Eles coisificam vidas
Abrem novas feridas

Quando uma pessoa presente
Desaparece e se torna ausente
Nada a substitui e só fica o vazio.
O vácuo, o nada, o mundo frio.

A falta que eu sinto agora
Não quero causar com minha ausência
Por isso não vou embora
Ficarei e lutarei até a última hora.

Quando uma pessoa presente
Desaparece e se torna ausente
Nada a substitui e só fica o vazio.

O vácuo, o nada, o mundo frio.

Flávia - Edmilson Marques




Música "Flávia", Edmilson Marques.
Composição de Edmilson Marques e Nildo Viana

Letra:

Flávia,
O silêncio e mais nada,
A distância da emoção imaginária.

Flávia,
O seu coração biônico
Não vê meu amor platônico

Flávia,
Não ultrapassa a frieza
De uma vida burguesa!

Flávia,
O dinheiro está acima de tudo!
Assim o sentimento fica mudo!

Flávia,
Miragem de uma ilha cheia d’agua
Em pleno deserto do Saara!

Flávia,
A ilusão de uma paixão
E além disso não resta nada!

(Repete).